por Garth Wiebe
Traduzido por Daniel Ruy Pereira
Revisão de Jadson Oliveira

Cris e Lúcia entraram no prédio, à procura de Manuel. Em uma sala, encontram uma vela acesa e um bilhete, que Cris lê em voz alta:

“Olá! Agora são 2:30, e estou saindo para entregar alguns recados. Volto em algumas horas. A propósito, estou sem energia elétrica, por isso acendi uma vela pra você – Manuel.”

Lucia, então, disse:

– Eu sei como podemos descobrir quanto tempo faz que ele saiu. Veja só: a vela está queimando desde que ele a acendeu e tem uma quantidade razoável de parafina que já derreteu e pingou no pires. Se soubermos qual é taxa na qual a parafina derrete e medirmos a quantidade de cera que já escorreu, podemos, começando do estado final, descobrir quanto tempo passou desde que ele saiu.

Eu conheço o Manuel há um bom tempo, e essa aqui é sua caligrafia.

Cris replicou:

– Ora, por que perder esse tempo? A nota diz que ele saiu às 2:30!

– Não acredite em tudo o que você lê, Cris – respondeu Lucia.

– Olha, Lucia, eu conheço o Manuel há um bom tempo, e essa aqui é sua caligrafia. Não seja ridícula!

A isso, Lucia replicou:

– Okay, mas o que ele quer dizer com “2:30”? Um bilhete como esse é passível de interpretação. Suponha que ele esteja falando sobre outro fuso horário ou algo do tip…

E assim começou uma breve discussão filosófica a respeito do bilhete. Contudo, Lucia venceu e insistiu em realizar as medições e cálculos. Alguns minutos depois, anunciou:

– Cris, tenho más notícias. Baseada na quantidade de parafina que derreteu e na sua taxa de derretimento, posso te dizer com confiança que faz pelo menos um dia inteiro que esse cara saiu. Provavelmente, ele estava falando das 2:30 de ontem. E, uma vez que disse que voltaria “em algumas horas”, podemos assumir que alguma coisa aconteceu e que ele na verdade não vai voltar. Tanto barulho por esse seu “bilhetinho”

Na mesma hora Manuel entrou.

– Você é o Manuel? – perguntou, surpresa, Lucia – Por que demorou tanto?

– Do que você está falando? Deixei um bilhete pra vocês dizendo que eu voltaria em algumas horas. Nem demorou tanto assim!

– Esqueça esse bilhete – disse Lucia. Eu medi a quantidade de parafina que escorreu da sua vela, e a taxa de derretimento. Eu sei que você esteve fora desde ontem.

A isso, Manuel respondeu:

– Em primeiro lugar, aquela vela não está queimando forte como quando a acendi. Em segundo lugar, não acendi uma vela nova, mas uma usada. E, em terceiro lugar, usei outra vela pra acender essa aqui e, entre uma coisa e outra, a parafina daquela caiu no pires dessa.

Brava, Lucia disse:

– Então você colocou essa vela aqui pra nos enganar, pra fazer parecer que você saiu da sala há um dia, quando na verdade faz menos de algumas horas!

– Olha, garota – respondeu Manuel – eu te deixei um bilhete quando eu sai. Nunca foi minha intenção que vocês conduzissem um experimento bobo medindo a “taxa de derretimento” da parafina a fim de deduzirem quando sai. Só coloquei a vela lá pra que vocês tivessem um pouco de luz.