por Daniel Ruy Pereira

Para o mestre de cordas.

“Quem é Deus?” – perguntam-me os desavisados.
Não é mero apelo intelectual!
É o Parágrafo e o Ponto-final!
Nele meus temores são aliviados
Ele é meu consolo na hora do lamento –
Quando as palavras, esmorecendo,
Umedecem e, assim, escorrem
em cascata de dor (traumas que correm)…

Ó Deus, não me abandones!
Cuida de mim: criança crescida,
Soldado ferido, navio sem cais…

Ó Pai, sei que Tu me ouves!
Se vier o Mal, Tú és güarida;
Rocha, Fortaleza, Amigo e muito mais!

Anúncios