por Daniel Ruy Pereira

Quando criaste tudo
(Uso o culto porque não sou americano.
Aliás, nem sou daqui),
Eu estava lá
(Platonicamente, claro. Era só ideia.)
Em Tua sabedoria sem corpo;
Em Teu pensar sem cérebro;
Eu saia de Tuas mãos, sem carne e ossos
(Isso foi quando o tempo aprendeu a correr
e virou velocista)
Foi lá que o caos fugiu da ordem.

Que bonito de ver!
Estrela aprende a brilhar.
Relva aprende a crescer.
Mundo aprende a girar.
Sol e Lua aprendem a revezar.
Dia aprende que é dia.
Noite aprende que é noite.

E tudo é tão bom!

O centauro ainda não tinha nome,
Mas já corria pelo céu.
Peixes e serpentes nadavam no firmamento.
E também tinha gêmeos, virgens, navios e invenções
Indo pra lá e pra cá.
(Agitada a vida noturna no céu!)

Mais importante:
Na primeira noite
Já teve crucificação.
E Adão viu tudo,
Olhando para cima.

Anúncios