Artigo traduzido de: Creation 31(1):22-23, dez 2008 – fev 2009. Título original: “The ‘face’ on Mars”. Copyright Creation Ministries International Ltda, <www.creation.com>. Usado com permissão.

por Gary Bates

Tradução por Daniel Ruy Pereira

Figura 1. A imagem que começou a história toda, tirada pela Viking 1. Foto Wikipedia.orgEnquanto fotografava lugares potenciais para a aterrissagem de futuras missões tripuladas em Marte, em 1º de julho de 1976, a Viking 1, da NASA, revelou algumas características incomuns da superfície marciana. Uma estrutura com mais ou menos 1,9 km x 2,6 km parecendo, um rosto completo com enfeites (veja a figura 1). Rapidamente, jornais do mundo todo noticiavam o “Rosto de Marte”.

Nessa mesma região de Marte, chamada Cydonia, outras estruturas semelhantes a pirâmides foram vistas. As imagens tornaram-se uma sensação, e muito rapidamente os pensamentos se voltaram para qual o tipo de alien que as teria construído, e de onde eles teriam vindo!

A NASA tentou acalmar a especulação de que avançadas civilizações alienígenas haviam criado as estruturas. Mas, como descobri depois de muitos anos de pesquisa dos fenômenos de OVNIs, os que acreditam no movimento nunca deixam que os fatos fiquem no caminho de uma boa história. A tentativa da NASA só fez crescer as noções conspiratórias que os crentes do movimento OVNI já “sabiam” – isto é, que os governos encobriram a verdade sobre os OVNIs e visitações alienígenas.

A ideia de que uma civilização a muito perdida teria construído as estruturas foi propagada principalmente por Richard C. Hoagland, um auto-proclamado “consultor científico”, que até mesmo ajudou o renomado jornalista da TV, Walter Cronkite, durante as transmissões da missão Apollo.

Os anos 80 viram o fenômeno OVNI explodir. O livro “The Roswell Incident” [“O Incidente de Roswell”] criou raízes na cultura popular com suas falsas afirmações de uma nave alienígena que teria caído no Novo México, em 1947; o governo teria removido os destroços e corpos dos alienígenas do local (1).

Em 1987, Hoagland lançou seu livro The Monuments of Mars: A City on the Edge of Forever [algo como “Os Monumentos de Marte: Uma Cidade Para Sempre no Limite”], apelidando essa área de Cydonia, “A Praça da Cidade”. Polêmicas vendem, e as afirmações de Hoagland tornaram-se muito populares. Ele foi ainda mais longe afirmando que raças inteligentes existiram em nossa própria lua e também nas luas de Júpiter e Saturno. Por muitos anos, famosos crentes em OVNIS, como Eric Von Däniken, em seu best-seller, Chariots of the Gods [“Carruagens dos Deuses”], de1968, afirmou que foram alienígenas mais antigos e avançados que construíram as pirâmides do Egito e outras estruturas. E, agora, como “estruturas piramidais” foram vistas em Marte, parecia ter peso afirmar que antigos extraterrestres deixaram seus cartões postais em nosso sistema solar. Isso também dá um peso maior a uma teoria de nossas origens, conhecida como “panspermia dirigida” (2), a qual diz que a vida primordial na Terra foi deliberadamente plantada por aliens, e a evolução fez o resto.

Mas o que eram essas estruturas?

Essas incríveis afirmações foram baseadas primeiramente em duas grandes pressuposições:

1. Que a evolução é verdadeira porque ocorreu na Terra. Portanto, em um universo de bilhões de anos de idade, raças alienígenas muito mais antigas que nós poderiam (e até deveriam) ter evoluído em qualquer lugar, sendo agora literalmente abundantes neste vasto universo. Se eles eram muito mais antigos, teoricamente haveriam de ter tido muito mais tempo de desenvolver tecnologias muito melhores que as nossas. Esses alienígenas viajantes-do-espaço poderiam ter criado esses artefatos há milhares de anos atrás.

2. Que as estruturas em Marte eram resultado de um projeto, um design com propósito específico. Mas não eram, como mostraremos adiante.

As negações da NASA eram um encobrimento?

face_E03-00824_procApesar das abundantes teorias de conspiração, devemos lembrar que agências espaciais como a NASA simplesmente adorariam mais que qualquer coisa encontrar evidência de raças alienígenas. Em anos recentes, eles brigaram por atenção e verbas, e sabem sobre o grande público interessado na possibilidade de vida extraterrestre. O já longo programa Origens, que ajudou imensamente na obtenção de verbas, foi criado para procurar vida no espaço, e culminou no aparecimento do atual campo da astrobiologia (3). Encontrar ETs seria um gigantesco achado para a NASA.

Porém, fotos mais detalhadas de Cydonia pela expedição Mars Global Surveyor, de 1998, foram um banho de água fria nas afirmações alienígenas sobre o “Rosto”. Elas mostraram que o “Rosto” e as “Pirâmides” eram nada mais nada menos que formações geológicas naturais que sofreram erosão (veja a figura 2). Em certo ângulo de incidência de luz, ocorre uma ilusão, e parecer haver um rosto ali. Mas essas fotos, tiradas de um ângulo diferente, mostraram que havia pouquíssimas caracterís-ticas de design para que alguém pudesse afirmar terem sido projetadas.

Marte parece ter sido, e ainda deve ser, geologicamente ativo. Há montanhas e vulcões, incluindo o enorme Olympus Mons – o maior vulcão do Sistema Solar (4). Há também redes de canais e canyons que sugerem que já fluiu muita água por ali algum dia (5). O “Rosto” e as pirâmides não são nada mais que os resíduos dessa atividade geológica.

E agora, de outra fonte,há mais evidências que põem fim às afirmações sobre um “Rosto”. Não muito tempo atrás, a sonda espacial Mars Express, da Agência Espacial Européia (ESA), enviou as fotos de maior resolução já tiradas de Cydonia. Gerhard Neukum, o principal investigador da câmera Mars Express, disse que recebeu centenas de e-mails pedindo por mais fotos. “Alguns deles até disseram: ‘A NASA está mentindo, queremos a verdade’.” Ele diz que os teóricos da conspiração ficaram quietos depois que a imagem foi revelada (Figura 3) (6).

Uma nova religião

A crença de que aliens avançados e “mais evoluídos” existem e retornarão algum dia para resolver nossas mazelas, consertar os buracos da camada de ozônio e solucionar o aquecimento global, etc., não é apoiada por nenhuma evidência séria. Isso inquestionavelmente tornou-se uma nova religião. Tragicamente, as pessoas estão procurando por sentido, propósito e esperança de um novo futuro nos lugares mais errados possíveis. Eles escolhem ignorar (2 Pedro 3:5) as abundantes evidências do Deus Criador da Bíblia – o Criador cuja verdade poderia de fato libertá-los e dar-lhes uma esperança certa e fiel (João 8:32).

Um homenzinho em Marte?

Em Janeiro deste ano, a mídia mais uma vez promoveu especulações gratuitas sobre vida inteligente em Marte. O rover Spirit da NASA mandou uma foto do que pareceu ser uma “pessoa” sentada, apontando para algum lugar. A NASA ridicularizou as afirmações, dizendo que aquilo estava a poucos metros da câmera e a rocha não tinha mais que poucas polegadas de altura. O astrônomo Phil Plait, do website Bad Astronomy disse: “Se a imagem realmente é de um homem em Marte, então ele é incrivelmente pequeno. Estamos fazendo tempestade num copo d’água! É só a nossa tendência natural de ver formas familiares em objetos randômicos.”

(Female Figure on Mars Just a Rock, <www.space.com/scienceastronomy/080124-bad-mystery-mars.html>, 5 março 2008.)

Referências e Notas

(1) Veja Bates, G. What really happened at Roswell? Creation 29(4):19-21, 2007; <creationontheweb.com/roswell>, 6 Julho 2007.

(2) Do Grego pas/pan (tudo, todos) e sperma (semente).

(3) Por exemplo, os dois rovers (veículos de exploração) que aterrissaram na superfície marciana em 2004 (Spirit e Opportunity), ainda estão enviando dados à NASA. Estas, mais o recente Phoenix, fazem parte do programa Origins.

(4) O Monte Everest caberia dentro dessa cratera.

(5) Veja Bates, G., Water, water, where are you? Creation 27(3):23-26, 2005; <creationontheweb.com/mars-water>.

(6) Nature 443(7110):379, 28. Setembro 2006.