Resenha: “Criação”

Domingo. Dia frio. Ótimo dia para assistir a um filme alugado. E hoje o escolhido foi “Criação”.  O filme explica como foi escrita a principal obra de Darwin: A Origem das Espécies. A direção é de Jon Amiel e a produção é de Jeremy Thomas. No papel de Darwin vemos Paul Bettany, e como sua esposa, Emma Wedgewood, Jennifer Connelly.

E eu gostei. Muito. É um filmaço. Os atores são incríveis, a música é incrível. Mas, acima disso tudo, achei o enredo incrível. Gostei, porque o filme me fez, ao mesmo tempo, admirar Darwin (o que já acontecia muito antes de eu ver o filme. Afinal, ele era genial), e ter pena do seu sofrimento. Em outras palavras: Darwin foi humanizado (1).

É normal olharmos para uma figura histórica, como Darwin, e aclamá-lo herói, revolucionário, genial, à frente de sua época. Tantos louvores, tantas aclamações, acabam distanciando de nós a sensação de que Darwin era também um homem normal. Pai dedicado, esposo preocupado, pensador consciente, religioso decadente. Assim o filme mostra esse intrigante pensador do século XIX.

Acima disso tudo, o filme mostra Darwin como um homem atormentado. Ele vai perdendo a fé, em parte por causa de sua teoria, em parte por causa do próprio sofrimento, em decorrência da morte da filha Annie, de 10 anos. Ele reluta a publicação de seu livro até onde pode, temendo o castigo eterno de sua alma. Sua reação às palavras de Thomas Huxley no filme ilustram isso. Em certo momento, Huxley diz: “Sr. Darwin, o sr. matou Deus.” Darwin arregala os olhos, sem acreditar no que acaba de ouvir. Esse sentimento permeia o filme todo. Depois de muito sofrimento, medo e decepção com a igreja, ele e sua esposa decidem publicar aquele perigoso livro. “E que Deus nos perdoe”, diz Emma a ele.

Quando comecei a estudar Biologia, sendo cristão, fiquei com raiva de Darwin. Achava que ele era mau, inescrupuloso. Como ele se atreveu a questionar a Bíblia? Ele merecia as piadas que faziam dele… Mas esse foi só o meu primeiro ano de faculdade. Mereço um desconto…

Duas linhas para mudar o mundo

Essa minha atitude beligerante foi mudando por causa da percepção  da veracidade de um único fenômeno: a seleção natural. A ideia da seleção natural é absurdamente revolucionária. Simples de tudo, mas pungente. Afinal, podemos definir seleção natural em duas linhas: o animal melhor adaptado às condições ambientais sobrevive, e deixa descendentes, contribuindo para o sucesso e diferenciação de sua espécie. É tão simples que a vemos funcionando no laboratório, em bactérias tratadas com antibióticos em placas-de-petri.

Esse é coração da teoria de Darwin, e foi o que lhe causou mais sofrimento. Para ele, bem como para a sociedade da época em que viveu, as espécies foram criadas imutáveis. Essa ideia ficou conhecida como “fixismo”. Algum religioso entendeu que a Bíblia ensinava isso; fez disso o centro do ensino sobre as Origens do Universo; determinou que era inquestionável; disse que quem ousasse questionar e duvidar disso iria para o inferno. Não é de admirar que poucos ousassem desafiar esse pensamento.

Mas qualquer leitor atento percebe que a Bíblia jamais ensinou o fixismo. A ideia da seleção natural está lá, escondida, mas está lá. No relato do Dilúvio de Noé, que começa em Gênesis 6, Deus destrói o mundo com uma inundação de proporções inimagináveis. Apenas os animais na arca sobreviverão. E Deus espera que essas espécies, que são poucas, repovoem a Terra. Se considerarmos a Bíblia como absolutamente verdadeira, como os religiosos da época a consideravam, como explicar as variações todas? Ora, aquelas poucas espécies da Arca originaram todas as outras (2), através de especiação por meio da seleção natural. Não é tão  difícil assim!

O mal que a Igreja pode fazer às pessoas

Ao lembrar do filme, o primeiro sentimento que me vem à mente é de decepção. Com a Igreja. A Igreja, como serva de Deus, deveria acolher as pessoas com amor, ouvir seus questionamentos e responder a eles, com ainda mais amor e compreensão. O filme mostra que isso não foi o que Darwin encontrou. (É evidente que há outras variáveis na equação, mas essa é muito importante.) Ele foi criado em uma Igreja que colocava o medo do inferno acima da misericórdia de Deus, e os sistemas doutrinários humanos acima da Bíblia. Jesus jamais autorizou Sua igreja a se declarar inquestionável e dona da verdade. Ela deveria pregar, ensinar o evangelho a todos, sem distinção, e não empurrar sistemas doutrinários ilógicos.

“Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês fecham o Reino dos céus diante dos homens! Vocês mesmos não entram, nem deixam entrar aqueles que gostariam de fazê-lo. (…) Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês dão o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, mas têm negligenciado os preceitos mais importantes da lei: a justiça, a misericórdia e a fidelidade. Vocês devem praticar estas coisas, sem omitir aquelas.” (Mateus 23:13, 23, NVI)

Darwin teve uma ideia “perigosa”: a verdadeira explicação para o mecanismo de formação de novas espécies. Seu erro foi extrapolar esse raciocínio para a ancestralidade comum. Mas como não havia ninguém para convencê-lo do contrário, essa ideia pareceu a mais lógica para ele (3). A seleção natural era, de fato, perigosa. Perigosa para o fixismo, não para a Bíblia. Nenhum teólogo, pelo que sabemos, foi capaz de explicar isso a Darwin.

Um conselho (bíblico)…

Todos temos um pouco de Darwin. Estamos tentando entender os por quês, as causas e efeitos, as relações, as origens do mundo, as nossas origens. Estamos batendo às portas e perguntando. A Igreja de Deus deve estar disposta a responder. E, se não souber, que deixe os cristãos pesquisarem e discutirem. Esse conselho é bíblico.

“Examinemos e coloquemos à prova os nossos caminhos, e depois voltemos ao Senhor.” (Lamentações de Jeremias 3:40, NVI).

“Buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração.” (Jeremias 29:13, ARA)

Notas

(1) Como eu não sou crítico de cinema, minhas impressões são de um espectador que pensou sobre o assunto. Para ver alguém que entende, veja o comentário de Isabela Boscov em: http://veja.abril.com.br/blog/isabela-boscov/cinema/criacao/

(2) Note que isso não é evolução. O mecanismo da seleção natural fez com que as espécies se diferenciassem. Já li em algum lugar que, no máximo, em espécies, gêneros e famílias, nunca acima disso (classe, ordem, filo e reino). Mesmo assim, sejamos honestos, ainda há questões: havia artrópodes na arca? Moluscos? Anelídeos? Havia lá Platelmintos? Nematelmintos? São questões para as quais ainda não conheço resposta…

(3) E para Alfred Russell Wallace, que passou quatro anos na Amazônia, chegou às mesmas conclusões independentemente, e propôs a ancestralidade comum de toda a vida.

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

About these ads

28 comentários sobre “Resenha: “Criação”

  1. olá
    Cmo fazer um paralelo sobre o filme a criação com a ciencias humanas.
    Por favor me tragam o conhecimento. obrigada

  2. Olá, Thiago!

    “Eram os deuses astronautas?” é um livro de Eric von Däniken, de 1968. Esse livro foi a base da maioria das obras de ficção científica envolvendo alienígenas de lá pra cá. Por exemplo, o recente “Prometheus”, de Ridley Scott, que foi lançado no início deste ano (um filmaço, por sinal). Em 2009, “Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal”. A série “Arquivo X” – especialmente as primeiras 5 temporadas.

    Nesse livro, von Däniken especula que os alienígenas foram quem nos ensinaram a arquitetrua antiga – na verdade, eles nos ajudaram a construir as pirâmides, as zigurates, os grandes monumentos e, inclusive, as grandes relig~iões. Por isso, para von Däniken, os deuses ERAM astronautas. O maior problema, Thiago, é que as teorias de von Däniken são justamente isso: especulativas. Não existe qualquer validação, eu diria, possível, de suas teorias.

    Como se pode afirmar, de forma conclusiva, que a tecnologia das pirâmides é alienígena? Aliás, como os alienígenas poderiam chegar aqui? Por exemplo, um dos desenvolvimentos das teorias de von Däniken é que os alienígenas, deuses do passado, têm supervisionado nossa evolução. Se isso é assim, então é impossível que eles tenham construído pirâmides, digamos, 2000 anos antes de Cristo e voltem hoje pra ver como estamos, ou construam sondas que enviem sinais eletromagnéticos para eles em seu planeta. Isso porque se sabe que a viagem intergalática é fisicamente impossível.

    Eu só joguei conceitos, porque estou sem tempo. Mas vou indicar a você o livro “Invasão Alienígena”, de Gary Bates, que estou publicando semanalmente aqui no blog. Já estamos quase na página 300, e este livro é fantástico. Sobre o assunto de von Däniken, você pode baixar aqui no blog, os fascículos 19 a 23, o capítulo 6 do livro. Lá tem muita informação, e acho que vai responder às suas perguntas. Clique aqui: http://considereapossibilidade.wordpress.com/2011/03/18/livro-invasao-alienigena-de-gary-bates-fasciculo-001-para-download/ e vá para a página.
    Espero ter ajudado.

    Abraço e volte sempre!

    Daniel.

  3. Ola Daniel, tudo bem ?

    Queria lhe perguntar algo. Será que o Senhor podia publicar uma matéria sobre ” Eram os deuses astronautas ” ? Pois queria saber as falhas desta Teoria.
    Muito obrigado pela a sua atenção e uma continuação de um bom Trabalho.
    Abraço e fica com Deus.

  4. Olá, Thiago! Tudo bem?

    Muito obrigado por ter postado essa palestra. Vou dar um jeito de assisti-la essa semana. O William Craig é ótimo, embora eu discorde dele em relação à longa idade da Terra – não me parece uma posição nem bíblica nem científica. Vou ouvir e depois dizer o que acho.

    Também tenho um artigo escrito aqui sobre a declaração dele (Stephen Hawking) sobre o paraíso ser “um conto de fadas para quem tem medo do escuro”. O link é o seguinte: http://considereapossibilidade.wordpress.com/2011/05/18/o-paraiso-um-verdadeiro-conto-de-fadas/

    Quanto ao artigo, vou pedir pra você esperar um pouco porque estou dando aulas até às 23h todos os dias, praticamente, além das traduções que estou trabalhando e estou sem muito tempo de escrever. Calma lá que sai, mas vai demorar um pouco.

    Falando nisso, tem uma tradução nova disponível.

    Abraço,

    Daniel.

  5. Olá Daniel, tudo bem ?

    Venho aqui postar uma palestra, na qual William Lane Craig participa com intuito de tentar quebrar o argumento de Stephen Hawking em “Stephen Hawking eliminou Deus?”, vale muito a pena assistir.
    ( Ainda aguardo o artigo que você tinha mencionado no seu comentário, para as minhas perguntas. )

    Continue o seu exelente Trabalho.

  6. Olá, Rendelson. Tudo bem?

    Cara, é o seguinte: a história de Adão e Eva é difícil de engolir por dois motivos. Primeiro: é preciso ter fé que um Deus Todo-poderoso possa criar vida de matéria não-viva, e isso não tem como provar no laboratório, como não tem como provar que isso não aconteceu. Se Deus criou ou não criou é uma questão de fé, antes de tudo.

    Segundo: falta de conhecimento. Você já ouviu falar na “Eva mitocondrial”? Os estudiosos, geneticistas, céticos e agnósticos entre outros que você citou não têm a menor dificuldade em acreditar que toda a humanidade descendeu de um único casal humano. Isso porque todo o DNA que existe nas nossas mitocôndrias (organelas celulares que produzem energia) é herdado de nossas mães. Se você voltar no passado, todo o DNA humano remontará a uma única mulher. Chame essa mulher de Eva, Mãe, Antepassada… Do que quiser.

    Sobre a passagem de tempo entre Gênesis 1 e 2 não é preciso fazer mirabolâncias. A Bíblia não é um livro esotérico, que esconde informações nas entrelinhas. É um livro escrito para ser lido pelas pessoas mais simples e pelas mais eruditas. Veja, qual é a leitura mais natural? Que o capítulo 1 fala da criação de tudo, terminando, sem muitos detalhes, com a criação da humanidade. No capítulo 2, a história foca esse aspecto da criação, permitindo um olhar mais atento a este ato criador de Deus: o homem e a mulher. Tentar encaixar milhões de anos de morte, eventos geológicos e extinções é uma ação equivocada do ponto de vista evolucionista, porque é inconcebível que aconteça tudo isso e o Éden seja uma ilha de eternidade e perfeição genética, de onde tudo se origina. As extinções exigem catástrofes e perda violenta de material genético, e o texto não te permite fazer essa extrapolação. Do ponto de vista teológico também é absurdo, uma vez que a morte foi consequência do pecado de Adão. Ora, se havia morte antes, então a morte não veio com Adão. E como ele escapou dela? É muito mais simples ficar com a versão registrada, sem tentar encaixá-la em um modelo que muda todos os dias. (Sugiro que você procure, no campo de buscas aqui do blog, termos que te levem a evidências, como “dinossauro”, “fósseis” etc. Se não achar o que procura, me avisa que eu posto.)

    Finalmente, com quem Caim se casou? Simples: com uma irmã ou sobrinha, uma vez que ele viveu muito tempo. E daí constituiu família. A maturidade sexual dos humanos acontece cedo, lá pelos quinze. Se Caim tivesse 30 anos e sua irmão ou sobrinha 15, já era possível a reprodução. E a questão ética? Casar com a irmã? Isso não era problema no passado, uma vez que o material genético tinha pouca ou nenhuma mutação, não haveria o problema de descendentes com acúmulo de mutações e aberrações cromossômicas. Isso viria com o tempo, mutação sobre mutação. A lei proibindo o casamento cosanguíneo veio só com Moisés, muito tempo depois. (Lembre-se que Abraão era casado com sua meia-irmã, Sara.)

    Volte sempre e faça mais perguntas!

    Abraço,

    Daniel.

  7. Olá Daniel, como vai. Permita-me questionar o entendimento sobre o criacionismo exposto na Bíblia. Grande parte das pessoas partem da premissa que todo os homens são descendentes Adão e Eva. Essa realidade é difícil de engolir e torna facilmente irreal e irracional. Esquecem os estudiosos, geneticistas, céticos e agnósticos, entre outros, os cientistas também, que no primeiro capítulo de Gênesis está escrito que Deus criou o Homem e a Mulher e instrui-os a crescerem e multiplicares e dominar toda a terra. Ora no segundo capítulo Deus escolheu uma região a qual denominou Éden e criou Adão e Eva. Pergunta: Quanto tempo se passou entre o primeiro e segundo capítulo? Não se sabe, mas arrisco-me a dizer que isso explica a origem dos homens , seres viventes em diversas partes do globo terrestre há milhões de anos. Já Adão e Eva é outra história, ligada ao povo Hebreu. Pergunta: Com quem Caim casou e constitui família ao ser expulso do Éden?

  8. Olá, Thiago!

    Que bom que você voltou. Eu estive mesmo meio enrolado essa semana, e não consegui responder porque estava muito enrolado com trabalho mesmo.

    Vou tentar ser rápido e objetivo com relação à sua primeira pergunta. Para as outras, vou precisar escrever um artigo inteiro! Mas você me deu uma ideia. Aguarde que vou trabalhar nele, beleza?

    1. Os judeus não creem em Jesus como Messias porque não entendem que o Messias seria teológico, mas de certa forma, político. Ele devolveria o prestígio de outrora a Israel, governando com justiça e sabedoria, como Davi. Mas como Jesus não fez isso (e fez questão de não fazer – certa vez quiseram coroá-lo rei, mas ele fugiu), Ele, então é rejeitado como Messias.

    Abraço e Deus abençoe,

    Daniel.

  9. Olá Daniel, tudo bem ?

    Não esquece de me responder, penso que você esta com muito trabalho, por isso, pode demorar o tempo que quiser, sem pressa.
    Só vim relembrar, no caso de o Sr. ter esquecido das minhas questões.
    Espero que esteja tudo bem.

    Abraço.

  10. Olá, Daniel !

    Obrigado por me ter respondido tão rápido, e peço desculpa por não ter feito as perguntas no comentário anterior. Mas aqui vai.
    1- Neste video é mencionado o fato de os Judeus não acreditarem que Jesus Cristo é o Messias ( já tenho essa dúvida a alguns meses ). A minha pergunta é, porque ?
    2- Quando estive a ver o video, notei um fato interessante pelo qual tive sempre muitas dúvidas, Judas foi realmente possuído por Satanás quando decidiu trair Jesus ? se positivo, porque é que Judas então é apontado como traidor ? porque Satanás poderia ter possuído qualquer um ali certo ? caso negativo queria uma explicação. Se positivo, então não faz sentido ele ser odiado sendo que ele foi possuído logo não teve intenção em seus actos certo ?
    3- Neste documentário pude observar outra coisa, quase no final é dito que Judas teve uma visão da sua suposta “traição”, então seguindo este raciocínio, como pode judas ter sido “condenado” sendo que esta era a sua missão ( trair ), como é dito no video claro. ( Espero que o Sr. entenda que eu só tenho dúvidas, nunca duvidei que Jesus Cristo tenha feito tudo aquilo por nos )
    4- Agora vem o fato mais estranho, neste documentário, é dito que no evangelho de judas não é mencionado a morte de Jesus Cristo, e que por isso a sua morte não era importante. Queria saber a sua opinião sobre isso, porque fiquei meio perdido nesse facto.
    5- Ultima pergunta XD Porque também no final do video é dito que não havia só um cristianismo e sim vários ?! O,O

    Desculpe te perturbar mais uma vez, Aguardo a sua resposta !

    Abraço.

  11. Olá, Thiago!

    Muito obrigado pelos elogios (embora você tenha exagerado MUITO. Só estou fazendo o meu trabalho, e ainda tenho muito o que aprender).

    Agora, o que exatamente você quer saber sobre o video? Porque eu acho esse programa muito legal (já assisti antes). Ele fala do Evangelho de Judas, mas é preciso de uma pergunta pra te dar uma resposta!

    Aguardo seu próximo comentário!

    Abraço e Deus abençoe,

    Daniel.

  12. Ola Daniel, tudo bem outra vez ?

    Como percebi que você é mais ou menos um William Lane Craig versão brasileira XD ( digo isso pela sua inteligência ) então, talvez irei continuar te perturbando com as minhas perguntas. Mas falando sério agora, espero não estar sendo chato, pois só faço essas perguntas porque sei que você tem um grande conhecimento como o William Lane Craig XD Eu sei que voce deve se perguntar – Porque é que esse rapaz não pesquisa em outros sites para obter tais respostas ?
    Eu até procuraria, mas a maioria dos sites que tem respostas ( verídicas ) para as minhas perguntas, costumam ser em Inglês, e o meu Inglês não é tão avançado como seu, longe disso ainda.
    Por isso irei te incomodar outra vez ( se algum dia eu estiver te perturbando, diga que não farei mais perguntas, pode dizer sem problemas, pois penso que sempre nesta fase da vida “19 anos” temos sempre muitas dúvidas ).
    Aqui vai, queria saber o que o Sr Daniel acha sobre esse video ? Pois tenho estudado muito o Evangelho do nosso Senhor Jesus Cristo, porque penso um dia pregar a palavra como um pastor que gosto muito Paul Washer ( comecei a vê-lo por sua causa, vi o nome d’ele mencionado em um comentário seu ) e peço Desculpa pelo meu Português básico.
    Este é o tal video, de um canal que você deve gostar “National Geographic”.

    Abraço e continue com o seu excelente trabalho.

  13. Olá, Thiago!

    Me desculpe, cara. Tinha esquecido sim… Mas respondo agora sua pergunta – e bem respondidinha.

    Este video do History Channel (por sinal, um canal do qual gosto muito) não fala da Bíblia em si, mas de escritos apócrifos, isto é, histórias que já exisitiam na época da definição do Cânon bíblico, que ocorreu no Concílio de Cartago, em 397 d.C. Existem muitos escritos, mas muitos mesmo, relacionados a personagens bíblicos, mas que não fazem parte da Bíblia. E isso se explica por alguns motivos, dos quais o principal é que esses livros entram em contradição com o conjunto de características que a Bíblia aponta como sendo características de Deus e do mundo criado por Ele. Esses relatos, como a história de Lilith, Bel e o Dragão, o Evangelho de Tomé e o Evangelho de Judas e outros, conflitam com o relato extremamente equilibrado que a Bíblia tem do ser humano, da natureza e de Deus.

    A história de Lilith é um exemplo. A história da primeira mulher de Adão, que teria se transformado em demônio da noite é bem usada como exemplo que a Bíblia estaria “incompleta”, e para corroborar sua afirmação citam Gênesis 1:27, primeiro relato da criação do homem e da mulher, e depois Gênesis 2:21-23, onde é contada a história da criação de Eva. Dizem que essas duas histórias são diferentes, e que a primeira mulher, em Gn 1:27 é Lilith, e a segunda é Eva – o que corrobora as lendas sobre essa criatura.

    Para responder às suas perguntas e a essas críticas ao cânon, Thiago, vou usar a Nova Versão Internacional, que considero uma ótima tradução bíblica em português, bem honesta e fiel, já que aponta as possibilidades de tradução de vários textos. Quando você lê Gênesis 1, vem desde o primeiro versículo até o 27 lendo uma estrutura narrativa (não poética). O versículo 26 diz: “Então disse Deus: ‘Façamos o homem à nossa imagem conforme a nossa semelhança’… E vem o versículo 27 – poético. O comentário da Bíblia de Estudo NVI traz:

    Esse versículo altamente significativo é a primeira ocorrência poética do AT.

    Isso possibilita que se entenda o seguinte: os versículos 24 a 31 falam do que Deus fez no sexto dia, de modo genérico. A poesia do v.27 aponta para o fato de este evento – criação dos pais da humanidade – ser tão importante que merece uma expressão poética para resumi-lo. Nesse dia, ocorreu também a criação do homem e da mulher. O capítulo 2 é dedicado a este evento, explicando-o com muito mais detalhes. E os versículos 21 e 22 contam (em prosa) como se deu a criação dessa mulher. Naturalmente, a leitura conduz a isso.

    Mas note que, no v.23, Adão diz: “Esta, sim, é osso dos meus ossos e carne da minha carne!”. Os defensores da ideia bizarra de Lilith como primeira esposa de Adão dizem que a expressão “Esta,sim” mostra que Adão está comparando Eva a Lilith, dizendo que a primeira não valeu… Ora, isso é forçar uma interpretação sem ler o resto do texto onde o versículo está inserido. Veja que, nos v. 18 a 20, Deus diz que criará uma companheira para Adão, que recebeu a incumbência de nomear todos os seres vivos. No meio do expediente, deu uma bela de uma dormida. Quando acordou, viu Eva. O texto quer dizer: “Ah, sim! De todas as criaturas que acabei de nomear, esta, sim, é osso dos meus ossos e carne da minha carne!”

    É só ler direito que a ideia de Lilith vai pro espaço.

    Mas ainda tem o texto de Isaías 34:14:

    Criaturas do deserto se encontrarão com hienas, e bodes selvagens balirão uns para os outros; ali também descansarão as criaturas noturnas e acharão para si locais de descanso.

    A expressão “criaturas noturnas” aqui, no original, é bem parecida com Lilith (liyliyth), mas aqui deve ser feita uma escolha na tradução: traduzimos fantasma, bruxa, demônio, criaturas noturnas ou Lilith? É simples definir isso: do que o texto está falando? Que Deus “estenderá sobre Edom o caos como linha de medir…” (v.11). Fala da desolação de uma nação. Os v. 12 a 15 falam de tamanha desolação que a cidade ficará deserta. Espinheiros brotarão livremente (porque não haverá agricultura ali) e, veja só, chacais, corujas, criaturas do deserto, hienas e bodes selvagens habitarão ali. Ora, até agora estamos imaginando uma cena de tamanha desolação que os humanos não existirão mais naquele lugar – apenas os animais selvagens, sem ninguém para importuná-los. Seguindo essa linha, o que um demônio da sexualidade, que atormenta homens durante a noite, fazendo-os ejacular enquanto dormem, faria num lugar desses? Não tem sentido! É muito mais natural traduzir como “criaturas noturnas”. E, de novo, a figura mitológica de Lilith não tem a menor utilidade aqui; nem importância, e não traz nenhum questionamento sério ao relato bíblico.

    Assim, Thiago, mesmo que os apócrifos existam, usar raciocínios como este justificam sua ausência da Bíblia, e porque a Igreja os recusou como sendo não-inspirados por Deus, portanto, não doutrinários ou canônicos. A definição do cânon não tem nada a ver com tentativa de controle, mas sim com reconhecimento de seriedade, plausibilidade e lógica nos relatos apresentados.

    Para mais informações, de excelente qualidade, sobre esse assunto, recomendo esses dois links para você:

    1. ANGLADA, Paulo. O cânon bíblico. In: Monergismo.net: http://www.monergismo.com/textos/bibliologia/canon_anglada.htm

    2. GEISLER, Norman. Apócrifos: analisando as evidências. In: Monergismo.net: http://www.monergismo.com/textos/bibliologia/apocrifos_analisando_geisler.htm

    E qualquer dúvida, pode perguntar mesmo. Só me desculpe, por favor, essa demora toda. Vou tentar ser mais rápido da próxima vez. De coração.

    Abraço e Deus abençoe,

    Daniel.

    PS: Sobre a parte de José, não entendi onde o video queria chegar. Seria conveniente ver o programa todo para saber se há algum questionamento ali.

  14. Olá outra vez Daniel Pereira, tudo bem ?

    Se você não se lembra, eu comentei na ultima vez te agradecendo por você ter conseguido da respostas as minhas perguntas com os seus excelentes trabalhos neste blog. E lembro também que você disse que eu podia perguntar qualquer coisa XD
    Então aqui vai, não é bem uma pergunta mas é uma dúvida…
    Eu queria saber se você podia me dizer, se tudo que é dito neste video é verdadeiro ou é apenas uma Falsificação de “documentos” da Bíblia.

    Continue com o seu excelente trabalho, aguardo a sua resposta.

    Abraço.

  15. Ola prof… olha msm sendo ateu eu gostei da sua resenha…
    lhe dou os parabéns e não me importo de tu es cristão ou não…
    o que importa e que escreves te bem…
    tbm sou bióloga, e concordo com vc , tu passa ensinamentos de bilogia e não religião.
    O problema e que nem td mundo consegue separar isso.
    Abraço… Fique na paz.

  16. Olá, Thiago!

    Li seu comentário, sim. Aliás, leio todos. Muito obrigado por suas palavras. Me dão ânimo para continuar e melhorar este blog. Continue firmando sua fé em Deus e saiba que pode perguntar qualquer coisa aqui. Se eu puder, responderei suas perguntas.

    Abraço e Deus abençoe,

    Daniel.

  17. Oi Daniel Ruy Pereira, tudo bem ?

    Eu queria te agradecer por este marivilhoso site que você vem construindo ao longo destes anos, porque antes de eu visitar o seu site a muito tempo que vinha perdendo a minha fé, eu começava a ter muitas perguntas mas poucas respostas, e com o passar do tempo a minha fé ficava cada vez mais fraca, mas eu nunca desistia e tentava sempre encontrar respostas para as minhas perguntas mas sempre em lugares errados, pois sei que devemos encontrar as nossas respostas em Deus, e graças a Deus conheci o seu exelente site.
    No seu site encontrei respostas para todas as minhas perguntas, e agora graças a você tenho a minha fé mais forte do que nunca, confiando plenamente em Deus ^^. Não sei se você ira ler o meu comentário, mas espero que tudo corra bem para você e que Deus te abençoe.
    E muito Obrigado…

  18. Olá, “Mãe da Beatriz” (adoraria chamá-la pelo nome, mas você não o colocou aqui no blog…)

    Muito obrigado pela palavras de incentivo. Só quero corrigi-la em uma coisa. A sra. disse ser ignorante, só porque trabalha na feira para dar melhores condições de estudo para suas filhas. Não diga isso. Geralmente há mais sabedoria em gente simples que em gente que se pretende culta e intelectualizada. Lembre-se que nossos maiores mestres foram pescadores – e o Maior deles, Carpinteiro. Uma das músicas que mais gosto de ouvir é de João Alexandre, e é baseada nos ditados de uma sra. feirante, avó do autor da canção. Ouça aqui e comprove essa sabedoria: http://www.youtube.com/watch?v=vLItwP6LQNE

    A sra. pode não ter tido oportunidade de frequentar uma escola boa como sua filha tem. Meus pais também não tiveram essa oportunidade. Se tenho sucesso hoje, esse sucesso é mais dos meus pais que meu, só honro o sacrifício deles. Parabéns pelo seu esforço. A Beatriz é uma menina adorável, dedicada e esperta e, se for igual à sra., tem pra quem puxar. Ela ainda vai dar muitas alegrias à sra.

    Abraço e Deus abençoe,

    Daniel.

    PS: Obrigado pelo presente de Páscoa!

  19. uhnmmm… muito obrigada a sua resenha do filme, foi muito importante e essencial para mim. Me ajudou muito com um trabalho de escola. receba a minha gratificação. bjus

  20. Boa noite Daniel, estive dando uma volta por aqui, e fiquei impressionada com essa metralhada de argumentos verídicos e verdadeiros que você disparou em cima desse cidadão; aliás desses dois que são dignos de dizermos: Senhor, perdoai-vos eles não sabem o que dizem.
    Pra dizer a verdade te acho um professor tão genial, que minha filha optou por medicina por causa de suas aulas fantásticas ( e pelo que eu me lembro, esses anos que ela vem estudando com você, nunca vi um “cinceramente” com C. Eu acho que antes de criticarmos as crenças, deveríamos sabermos mais, pra não passarmos vergonha, ou simplesmente sabermos escrever um pouquinho. Se eu tiver algum errinho de português, me perdoe, não sou formada em botânica e em nenhuma área, como vc sabe sou uma ignorante, feirante que batalha dia a dia pra ter condições de pagar uma ótima escola, só pra que minhas filhas tenham um bom suporte com alguém tão profissional como você. Obrigado por tudo que faz e fez pelas minhas filhas, pelo alto nível de conhecimento que minha filha adquiriu e que fez com que ela entrasse pro campeonato brasileiro de BIOLOGIA. Isso mesmo, continue assim corajoso, culto, articulado e colocando os cachorros bravos pra entender quem é o nosso verdadeiro criador….abraço (mãe da Beatriz) !

  21. Olá, Francisco.

    Obrigado pela visita e participação (sempre começo assim, não importa o nível que o comentarista resolva assumir no comentário).

    Sobre eu ser um fracasso, você não é meu aluno, então não sabe disso. Aliás, o número de alunos que se decidiu por fazer Biologia, e passaram em universidades, tendo minha influência como parte dessa decisão é até bom. Mas isso não tem a ver com o debate, tem, Francisco?

    O problema é que você confunde as coisas. Acreditar em Deus, no Dilúvio, no Acaso, no Ateísmo ou em Extraterrestres está tudo no mesmo pé de igualdade. São, todas essas crenças, obviamente baseadas em fé (certeza do que não se vê; prova do que se espera). Porém, cabe àquele que é cientista, como você é, analisar as evidências e decidir qual é a melhor explicação para os fenômenos.

    Como base nisso, Francisco, olhe para o Grand Canyon e me diga qual é a probabilidade daquilo ter surgido sem a ação rápida de água. Olhe também para a quantidade de fósseis marinhos em lugares altos e desertos e diga como foram parar lá sem a ação de água. Olhe também para a quantidade de fósseis complexos no pré-cambriano e, inclusive, fósseis de animais de corpo mole e me responda: fósseis se formam sem ação de água? E sem um soterramento rápido e ação rápida de fossilização? Francisco, um dilúvio é uma explicação muito mais plausível… Leia “The Genesis Flood”, que é anterior à Teoria da Deriva Continental (portanto é um livro já superado, embora não perca nada de sua força) e se surpreenda com a quantidade de evidências favoráveis a um dilúvio mundial. Depois, junte essas evidências com a quantidade de relatos e mitos diluvianos nas mais diversas culturas e quero ver você continuar dizendo que o Dilúvio não aconteceu. “Acorda, cara, para a realidade.”

    Já estudei sistemática vegetal e sei que a teoria mais aceita é que “provavelmente” (a palavra, que admite o contrário como possível, foi você que usou, hein?) os vegetais têm um ancestral comum. O problema é que não existe a menor evidência conclusiva da origem dos vegetais. O mais perto que se tem é que talófitas e traqueófitas compartilhariam um ancestral com as clorofíceas. Mas se falarmos das briófitas, com toda a sua dependência de água ambiental, pense no seguinte Francisco. Como, de um organismo clorofíceo, surgiria um ciclo tão complexo como este, com gametas haplóides gerando esporófitos diplóides, cujos esporos haplóides originam gametófitos por esporos produzidos por meiose? O ciclo de vida das briófitas – e olhe que nem estou falando de traquófitas – é tão complexo e cheio de detalhes que não poderia ter evoluído darwinisticamente. Se faltarem esporos não tem gametófito. E o esporo é produzido por meiose, que é um processo biológico extremamente complexo, por si só. Pense na bioquímica do anterozóide (que é o gameta masculino, para quem não sabe). Como o flagelo dessa célula poderia evoluir, se é uma estrutura derivada do citoesqueleto, complexa em níveis quase incompreensíveis? Tudo precisa estar pronto desde o início – e se há um Projetista, então é possível a existência desse organismo.

    De novo, Francisco, “acorda para a realidade”…

    Abraço e Deus abençoe, mesmo você não acreditando Nele,

    Daniel.

  22. com certeza, vc é um fracasso como professor, ainda mais de biologia, como pode acreditar que houve um diluvio, acorda cara para a realidade, a vida acontece de forma natural nao que alguem possa ter criado, a biblia o livro que vc tanto presa, foi feito por maos de homens, nao por
    um ser mistico como o deus que vc acredita, o deus que eu acredito é aquilo que eu acredito ser verdade, o deus de cada um é um deus diferente, alex está mais do que certo, cinceramente….
    sou formado em botanica e estou me formando em geografia, com certeza vc estudou sistematica vegetal e sabe que provavelmente, todos os vegetais tem um ancestral comum, acorda.

  23. Olá, Alex.

    Só estou publicando o seu comentário para que todos vejam duas coisas. Primeira: cachorro bravo não me assusta. Segunda: você está dando um exemplo do que um desafiante nunca deve fazer em um debate: ataques ad hominem, sem qualquer tipo de evidência. Considere-se, assim, útil didaticamente.

    Ah, e você não deve ter lido os artigos do blog (ou não sabe interpretar textos…). Eu não acredito na Bíblia e na evolução. Acredito só na Bíblia. Agora, ao contrário de você, vou mostrar evidências do por quê.

    Qual é o seu problema com uma Terra jovem? Você sabia que a Lua se afasta da Terra cerca de 4cm por ano? Isso significa que a idade máxima para a evolução acontecer deveria ser de, no máximo, 1,37 bilhões de anos atrás. Isso é ridiculamente pequeno para eventos evolutivos, já que seriam necessários 4,5 bilhões de anos para chegarmos até aqui. (1)

    Você conhece os radiohalos de polônio? Sabia que ele tem uma meia-vida tão pequena (de 138,4 dias até 164 microsegundos (2)) que não poderiam ser preservados em rocha? Mesmo assim, sabia que existem abundantes amostras em granito, por todo o mundo? Sabe qual é a implicação? Que a Terra pode ser surgido instantaneamente. Sabia que não há respostas para essa evidência?

    Além disso, você sabe que já encontraram células e vasos sanguíneos não-fossilizados em fêmur de T.rex? (3) Isso significa que 68 milhões de anos é uma data virtualmente impossível para um fóssil como esses, o que implica em uma idade, no mínimo, muito mais jovem, já que a fossilização seria (de acordo com as observações atuais) um processo extremamente lento.

    E por que o Dilúvio não pode ter acontecido? Só porque você leu em algum lugar ou viu na TV que é um mito? Sabia que praticamente todas as culturas indígenas do mundo, desde a Amazônia até os aborígenes australianos, têm uma história sobre um dilúvio de proporções gigantescas, que destruiu tudo, menos um herói que construiu um barco para proteger a si mesmo e aos ancestrais, e que o Dilúvio teria sido obra de uma divindade? Sabia que, quando vemos tantos relatos assim concordantes, mesmo em graus diferentes, existe a possibilidade concreta de que o evento tenha sido real?

    Sabia que foram encontrados fósseis marinhos no Everest (4), e que, ainda este mês, mais de 80 fósseis de baleias foram encontrados em um deserto chileno (5)? E que, para isso acontecer, é necessário que tenha havido um grande volume de água e rápida sedimentação – o que só pode ocorrer através de um grande movimento de águas (leia-se “um dilúvio”). Parece que você precisa estudar mais…

    A escala de tempo geológico só tem validade dentro do modelo evolucionista, Alex. Ela tem alguns problemas sérios, como a explosão de vida complexa no pré-cambrino, a 600 milhões de anos atrás, com muitos filos do Reino Animal representados. Como explicar seu surgimento? Você sabe? Não, não sabe. Por que ninguém até hoje conseguiu explicar isso.

    Antes de ser mal-educado e ilógico, estude mais. Abaixo, alguns artigos, citados em minha resposta, para te ajudar. E tome um suquinho de maracujá pra acalmar, tá bom?

    Abraço e Deus abençoe,

    Daniel.

    Referências

    (1) Sobre a Lua. http://creation.com/the-moon-the-light-that-rules-the-night

    (2) Sobre radiohalos de polônio. http://creation.com/new-radiohalo-find-challenges-primordial-granite-claim

    (3) Em português, sobre fossilização e o fêmur de T.rex. http://considereapossibilidade.wordpress.com/2008/10/09/o-verdadeiro-jurassic-park/

    (4) Sobre o Dilúvio. http://creation.com/noahs-flood-covered-the-whole-earth

    (5) Sobre as baleias no Chile. http://creation.com/chile-desert-whale-fossils

  24. Estúpido! Imbecil! Você é um completo boçal. Um idiota como você deveria ser proibido de lecionar. Arca de Noé? Dilúvio? Tem um ditado que se encaixa como uma luva no seu caso: “Quem não sabe, ensina”. Já ouviu falar em “escala de tempo geológico”, seu professorzinho de merda?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s